Texto publicado por Instituto Mises revela o racismo presente no liberalismo

O Instituto Ludwig von Mises Brasil (IMB), é um grupo brasileiro que busca a disseminar as ideias do liberalismo econômico embasado no pensamento da chamada “Escola Austríaca”.  O Instituto é muito respeitado pela direita liberal, sendo considerado pela revista Forbes o thin-tank liberal de maior influência digital do mundo (fora dos EUA). 

Artigo revela que racismo e liberalismo andam juntos

Na terça-feira (19 de dezembro), um artigo publicado por Guilherme Moreira e assinado pelo Instituo Mises Brasil, com o título “Uma verdade politicamente incorreta sobre a desigualdade”  foi ao ar no site  e replicado na página do Facebook do Instituto. A publicação repercutiu rapidamente na internet e recebeu duras críticas por fazer apologia a ideia de supremacia racial. O texto traz afirmações absurdas como a de que a mistura cultural, étnica e racial justifica a desigualdade social de um país.

Eis o fato: é simplesmente impossível querer que uma sociedade multicultural e com ampla mistura de raças, culturas e etnias apresente, ao mesmo tempo, baixa desigualdade social.” Instituto Mises Brasil

 

Após receber críticas, o post no Facebook (print abaixo) que resumia o texto foi apagado e o artigo completo retirado do ar. Através da webcache, conseguimos resgatar o texto na íntegra para quem quiser ler.

 

Mises alega “falha”

Após a má repercussão, o Instituo Mises fez um pedido de desculpas pela “falha” e alegou que o texto não foi aprovado pelo Comitê Editorial. 

Liberais defendem texto racista

Mesmo assim, alguns seguidores da página e defensores do liberalismo mantiveram o apoio ao texto e foram contra o recuo do IMB. Pra eles, o Instituto retirou o texto apenas por pressão da esquerda e medo de assumir seus ideais “politicamente incorretos”.

2 comentários em “Texto publicado por Instituto Mises revela o racismo presente no liberalismo

  • 23/12/2017 em 01:08
    Permalink

    O máximo que vocês podem fazer é espernear sem fornecer qualquer contra-argumento. Não há nada de errado com o que vocês chamam de racismo, toda sociedade homogênea tem direito ao identitarismo e a defesa de suas origens étnicas, principalmente o povo branco que hoje vem sofrendo com a invasão da escória do mundo. Chora mais que está bonito, igualitarista degenerado.

  • 26/12/2017 em 03:47
    Permalink

    Qnd eu achava q era impossível surgir coisa pior q o texto do ILISP sobre Física Quântica ser instrumento marxista, eis q o IMB nos brinda com esta pérola de texto.

Os comentários estão desativados.